Recent Posts

.
.
.

23 de mar de 2012

Álbuns Marcantes : MV Bill - Traficando Informação (2000)

 
Primeiro, devo pedir desculpas pelo (longo) tempo de ausência dessa coluna que prometia ser semanal, ou quinzenal, no pior dos casos.

Sem mais voltas, passamos ao que importa, o álbum marcante para hoje. Depois de passagens por Angola (MC K), Portugal (Fuse, Black Company), Brasil (Gabriel o Pensador), a coluna volta ao Rio de Janeiro, mais especificamente para a CDD (Cidade de Deus).

Traficando_Informação
Assim começa o álbum: MV Bill está em casa, pode acreditar…Introdução do álbum “Traficando Informação”, cuja primeira versão foi disponibilizada em 1998, com o título “Mandando Fechado”, tendo sido regravado em 1999 e posto em circulação em Maio de 2000 com esse novo título: “Traficando Informação

Na segunda faixa do MV (Mensageiro da Verdade), aparece a faixa que dá título ao álbum, uma descrição da dura realidade das favelas do Brasil. Frases marcantes: “isso acontece porque aqui ninguém ajuda ninguém…”, “cuidado com os convites… convites para roubar, para fumar, para matar… mas ninguém te convida para trabalhar…”

“Quem é o cara? Um criolo revoltado com uma arma, este é o título da 3ª faixa do álbum, contando mais uma história típica da favela, onde a esperança de vida não vai além dos 30 anos (PS: estatística empírica)
A história de Marquinhos Cabeção, um rapaz de 15 anos que tinha o sonho de ser jogador de futebol mas acabou por entrar no mundo do crime, bom… o resultado todos conhecem. Mais um retrato da favela.
Como é comum no álbuns de RAP, há sempre uma música a falar da “balada” e nesse não foi diferente: A noite é o título da música. “Festeja a noite, celebrando a cada momento…”. A faixa seguinte traz um apelo ao bom senso, à moralidade, uma conversa “De homem pra homem…”

No meio desta cruzada pela favela, MV Bill mostra o guia para entender as favelas, como sair vivo delas: “Como sobreviver na favela

A 8ª música foi vencedora do´conceituado prémio Hutúz em 2000, “Soldado do Morro” é um verdadeiro clássico do RAP Brasileiro, com uma base simples, letra directa, sem meias palavras…

Dando sequência a esse autêntico filme, é proposta a música “Constraste Social” – desemprego, miséria, morte de um lado e do outro a parte brilhante da sociedade capitalista. Uma música que pode se enquadrar em qualquer país do 3º mundo…

Pare de babar” é um recado para quem tem complexo de inferioridade, uma incursão a um problema que ainda existe no Brasil, o racismo.

Na penúltima música do disco, mais uma mensagem social em “Atitude errada” . Frases Marcantes: “a vida é curta, procure alguma coisa útil para fazer…” “.. o nosso inimigo é outro

Para fechar em grande, uma grande dedicatória para as favelas do Rio de janeiro em “Sem esquecer das favelas”, acreditem, são muitas mesmo

Comments
0 Comments